Sergio Moro Bloqueia R$10 Milhões de Adriana Anselmo, o Banco Itaú depositou em justiça o valor total que é oriundo de contas da ex-primeira dama do Rio Adriana Ancelmo, absolvida da acusação de lavagem de dinheiro.

Ela fcou livre da acusação, porém Moro mandou bloquear os valores identificados na conta dela, tudo será encaminhado à 7ª Vara Federal, do juiz Marcelo Bretas, lá ela ainda responde pela acusação de lavagem de dinheiro de supostas propinas ao PMDB. Moro chegou a cobrar que o banco depositasse, com urgência, os valores bloqueados de Adriana.

Moro já havia disponibilizado R$ 11 milhões bloqueados nas contas da ex-primeira-dama e de seu escritório de advocacia à Justiça Federal do Rio,
onde é ré no âmbito da Operação Calicute, por lavagem de dinheiro e associação criminosa ainda.

Inicialmente, o Itaú atrasou os depósitos e foi alvo de notificação de Moro para que depositasse, com urgência, os valores
em face da 13ª Vara Federal para que, em seguida, esta envie os R$ 10 milhões a contas indicadas pelo juiz federal Marcelo Bretas.

Nos próximos dias, a Justiça Federal do Paraná vai enviar o montante à 7ª Vara do Rio, e já determinou sua prisão domiciliar.

 “Ao menos suspeitas da prática de atos de ocultação de proveitos decorrentes da atividade criminosa do ex-governador”. Segundo a denúncia do MPF do Rio, o escritorio Ancelmo Advogados recebeu R$ 35.830.356,84 milhões de dez empresas.

“O escritório de advocacia da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo teve um crescimento vertiginoso durante os
dois mandatos de seu marido Sérgio Cabral”, afirma a força-tarefa.

A defesa da advogada tentou deferir essa ação de prisão domiciliar, alegando que o desembargador, ao proferir seu voto, abordou questões pessoais e familiares da ré, o que teria configurado prejulgamento por parte do magistrado e o tornaria suspeito por violar o dever de imparcialidade. À época do julgamento, Espírito Santo havia votado pelo retorno de Ancelmo à prisão.