Com certeza você já deve ter assistido um filme sobre ele ou apenas tenha ouvido falar de Hannibal Lecter, um dos assassinos mais assustadores de todos os tempos. Com uma frieza peculiar, Hannibal tem aterrorizado espetadores e amantes de livros há mais de 30 anos. E como eu disse no título, o personagem foi inspirado num assassino de carne osso!

Tudo começou em Em 1981 quando Thomas Harris publicou o seu segundo romance, Dragão Vermelho, apresentando ao mundo Hannibal Lecter. Após três romances, cinco filmes e um programa de TV o mundo ainda continua obcecado com este charmoso assassino canibal.

Você sabia que o personagem Hannibal Lecter foi inspirado num criminoso real?

No entanto, ainda existe uma questão que deixa os fãs assombrados: O personagem de Hannibal Lecter foi inspirado em um assassino da vida real? E quem foi este assassino? Muitos nomes foram divulgados ao longo dos anos, incluindo Jeffrey Dahmer e Albert Fish. Existiu um homem que sabia a resposta, mas Thomas Harris preferiu manter a boca fechada, permitindo que os leitores brigassem entre si.

Tudo isso mudou em 2013 quando Thomas Harris incluiu uma nova introdução na edição do 25º aniversário do romance O Silêncio dos Inocentes, introdução esta que causou arrepios nos fãs de Hannibal. De acordo com o próprio autor, Lecter foi baseado num assassino mexicano pouco conhecido que ele apelidou de “Dr. Salazar.” Os dois se conheceram no início dos anos de 1960, quando Harris era um jornalista e realizava uma reportagem sobre Dykes Askew Simmons, um assassino americano que cumpria pena numa prisão de Monterrey. Ao visitar a penitenciária mexicana, Harris descobriu que Simmons tinha sido baleado numa tentativa de fuga. Gravemente ferido, o americano foi levado até o Dr. Salazar que realizou a cirurgia para salvar sua vida. Intrigado, Harris decidiu entrevistar o cirurgião, achando que Salazar era um médico da prisão. Era uma suposição compreensível, já que Salazar tinha formação médica, trabalhou com pessoas pobres e ainda teve o seu próprio consultório dentro da prisão.

Quando os dois finalmente se encontraram, Harris apertou a mão de “um homem pequeno e ágil, com o cabelo vermelho escuro.” Mais tarde, ele descreveu Salazar como um homem de poucas palavras e com “uma certa elegância”. Ao começarem a conversa Harris se perdeu nas palavras e Salazar começou a sondar o escritor, fazendo perguntas sobre as vítimas de Simmons. Quando a entrevista terminou, Harris perguntou ao diretor da prisão sobre a carreira médica de Salazar. E ele chocado respondeu: “Homem, o médico é um assassino! Como um cirurgião, ele poderia surpreendentemente colocar uma vítima dentro de uma caixa pequena. Ele nunca vai deixar este lugar. Ele é louco!”

No entanto, ainda existe uma última pergunta: Quem é o Dr. Salazar? De acordo com The Times e o autor mexicano Diego Enrique Osorno, o verdadeiro nome de Salazar era Alfredo Balli Trevino e a evidência é bastante conclusiva. Além de Trevino ter sido um cirurgião, ele era também um assassino condenado. Alfredo esteve na prisão durante os anos 60 e, o mais importante, tratou Dykes Askew Simmons na prisão. Mas o que o “bom” médico fez para acabar atrás das grades?

No dia 9 de outubro de 1959, Trevino e a sua amante, Jesus Castillo Rangel, tiveram uma briga feia. Alguns dizem que Rangel não queria emprestar um dinheiro a Trevino. Outros afirmam que Rangel queria acabar com o seu relacionamento. Trevino bateu em Rangel até ela ficar inconsciente, cortou a sua garganta com um bisturi, picou-a em pequenos pedaços e colocou os pedaços dentro de uma caixa. Com a ajuda de um cúmplice, Alfredo enterrou os restos mortais, mas foi descoberto e condenado à morte. Felizmente para Trevino, sua sentença foi revogada e ele finalmente deixou a prisão em 2000. Como um homem livre, ele continuou a carreira médica ajudando os pobres até que faleceu em 2009. Apesar das suas boas ações, as probabilidades dele ter sido o canibal mais famoso de todos os tempo são muito boas.